GERI GARCIA - O artista de El Padul

Geri Garcia é um grande artista, desenhista e pintor.

Com formação acadêmica na École de Beaux-Arts, de

Paris e na Académie Julien, França, entre 1951 e 1953.

Em 1953 seguiu para a Espanha, para habitar pelo

período de três anos, o povoado de origem de sua família,

El Padul, nos arredores de Granada, nos contrafortes da

Sierra Nevada, abaixo da montanha El Manal.

Ali permaneceu desenhando e pintando as pessoas,

os animais, a paisagem. Escutou atentamente a memória

oral de seus parentes e dos habitantes do local

acerca do terror franquista instalado na região, que dizimou

grande número de republicanos. Das viúvas, das

crianças do povoado e dos poucos sobreviventes homens,

ouviu os relatos das dificuldades, das esperanças e da miséria

a que todos foram submetidos pela opressão e por

uma guerra impiedosa de motivações políticas.

Guardou consigo na forma da arte, os relatos

sombrios dos fuzilamentos nas madrugadas andaluzas,

que todos tiveram que testemunhar ao serem obrigados

a recolher os corpos nos dias seguintes, situação emblemática

no legado da memória de um habitante da região

(de Fuentevaqueros), o poeta Federico Garcia Lorca, igualmente

vítima dessa inesquecível tragédia.

Desses relatos pungentes e graves, dos murmúrios

de vozes ocultas e da delicadeza poética dessa memória

preservada, extraiu um conjunto de desenhos e

pinturas que jamais foi visto anteriormente.

A mostra inédita de 1953, em aguadas, realizadas

a pena caligráfica, em pincel a tinta china e a lápis, um

tesouro que podemos apreciar hoje, com emoção. Desenhos

que permaneceram secretos e silenciosos por quase

60 anos e que são apresentados agora no conjunto desta

mostra de pinturas e desenhos.

Geri produziu esses desenhos e pinturas durante

aquele período de três anos, guardou-os até os dias de

hoje e somente agora concordou em mostrá-los a um público

apreciador de arte.

São memórias sutis, sussurradas como a névoa

alaranjada do deserto que recobre e marca, vez por outra,

o branco eterno dos picos da serra de El Padul; trabalhos

delicados de viés expressionista, aqui e ali com um toque

algo cubista, descompromissados com escolas ou modismos,

um documento precioso deste recolhimento recatado

de palavras que se tornaram perenes e emuladoras do sagrado,

no traço do artista.

© Alfredo Aquino

GERI GARCIA

Artista de sólida formação em cursos de arte e técnicas

artísticas de pintura, afresco mural, desenho e gravura,

em Paris (´École de Beaux-Arts e Académie Julien), dedicou-

se à publicidade, na qual consagrou-se entre a geração

de ouro da profissão, conjuntamente aos talentos

formacionais de Petrônio Corrêa, Francesc Petit, Roberto

Dualibi, José Zaragoza, Flávio Corrêa, Arthur Amorim,

Christina Carvalho Pinto, Wesley Duke Lee, Nelson Porto,

Renato Castelo Branco, Hilda Schultz, Clóvis Graciano, Licínio

de Almeida, Lívio Rangan, Washington Olivetto, entre

muitos outros.

#artista #pintura #arte

Destaque
Tags
Nenhum tag.